30 setembro 2010

O mar tem voz.


A voz é o ouvido do mar.


Uma a


uma, ondas,


sua fala se desfaz,


o mar,


o mar faz


calar.

30 comentários:

Pólen Radioativo disse...

Escuta o mar mansinho...
As ondas... ajudam a ninar.

Beijinhos com gosto de mar

Aline Amora disse...

Eu adorooooooooooooooooooooo suas criações!!!!
Beijo

fluorescências germinais disse...

Só sei que quando quebra na praia, é bonito... é bonito.

Maria Muadiê disse...

( o mar não cabe na palavra tudo)

Chovia manso, chovia triste, chovia fino
e eu olhava devagaríssimo seu rosto.
Até a ilha está chorando, disse o rapaz
estendendo-me o búzio.
Tive receio de tocar suas mãos.
Coloquei o búzio no ouvido
para escutar a voz do mar.

A concha não tenho mais
(e chove a cântaros em minha terra),
tenho as cartas, letras de amor
guardado, murmúrio de mar.

Martha Galrão

Sophi (para os íntimos) disse...

Este mar que te faz ousar...
Você é perfeito!

A Mina do cara! disse...

que beleza! Agora por aqui também!

um abraço

Néia disse...

O mar pensa que fala,
mas se engana,pois na gana de calar as ondas,ele se engana.
Elas fingem que se calam e ao longe se formam novamente e voltam, a gritar.Tomei coragem e estou aqui, te adoro de todas as formas... beijos Néia

Controvento-desinventora disse...

È o mar, é a mar
"que quando quebra na praia..."
é inteiro.

ingrid_cano@hotmail.com disse...

Arnaldo,
Busco uma maneira de entrar em contato com você e seu blog me parece uma boa ferramenta para tal empreitada. Desculpe tratar deste tema aqui, mas me parece o lugar mais viável. Sou uma jovem produtora cultural do interior de goiás e estou escrevendo um projeto para um edital lançado recentemente pelo Ministério da Cultura: o Procultura. Embora o meu desejo seja o de fazer uma programação ampla e variada, o recurso para festivais inéditos é muito pequeno. Um bom mecanismo para solucionar a escassez de verba é realizar uma premiação musical. Bem, em síntese, gostaria de convidá-lo para fazer parte, à distância, da comissão julgadora que escolherá as bandas participantes do festival. Sua participação seria fantástica. Para não tomar mais seu tempo, deixo meu contato para que, caso se interesse, possamos trocar idéias e esclarecer dúvidas. Agradeço pelo seu tempo e me desculpo pela "agressividade" da proposta, mas como dizem por aí, quem não arrisca, não petisca.
Agradecida e ansiosa,
Ingrid Cano
ingrid_cano@hotmail.com

Néia disse...

Arnaldo,por onde andas,responde...
o verso está só e a palavra inocente, procura naquele menino irreverente,algum tipo de traquinagem, que lembra você.
Néia

Anônimo disse...

Gostaria MUITO de entrar em contato com o(a) dono(a) deste blog. Sou grande fã do Arnaldo e preciso entrar em contato para que possamos divulgar a poesia e arte do Arnaldo.
Infelizmente não encontrei meio de contato aqui no blog.

Abraço,

Jucosfer disse...

e o mar nos faz melhor.

Marisa Vieira disse...

no calor do uísque

brindemos Leminski

um cântico ressoa

versos do Pessoa

lavam a alma

de quem ama

palavras do Quintana

no mar sereias

bailam em cardumes

ao som do Arnaldo,

O Antunes!

(Afago Poeta / Marisa Vieira)

Catarina Poeta disse...

Adorei! Ficaria feliz se visitasse meu blog. Forte abraço!

laerth motta disse...

http://oburacodosolhos.blogspot.com/

Marisa Vieira disse...

há mar...ah mar!
Lindo, como tudo que vc cria Arnaldo,sou fã demais!
beijo da Marisa

Controvento-desinventora disse...

Maravilhoso!!!!
"O mar quando quebra na praia..."
Faz calar.

Gabi disse...

E que o mar não te cale
e que o mar não leve a inspiração
as ondas vão e voltam
ainda bem.

líria porto disse...

balada do afogado
líria porto

omar me quer
a sua língua
lânguida morna
lambe-me os pés

omar me pede
não se contenta
toca-me as pernas
alcança o ventre

omar se atreve
roça-me o peito
suga-me a boca
o pensamento

amar oh mar
ô morte
l e n t a

líria porto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carol Love disse...

Belleza que canta y calla,
calla y canta
cuando viene
cuando va

Gracias por siempre tanta poesía
Carol (Sta.Fe - Argentina)

Controvento-desinventora disse...

O mar cabe todo,inteiro
no verbo sentir,
no ouvido de cantar,
no olhar de desmentir.

Barja disse...

Prezado:
sua poesia me faz compartilhar com você o prêmio Kreativ Blogger que acabo de receber.
Para aceitar, basta:
1) acessar:
cordeisjoseenses.blogspot.com/2011/03/premio-kreativ-blogger.html
2) copiar o logotipo Kreativ Blogger no seu blog
3) seguir as instruções na postagem indicada acima.
Obrigado por ser fonte de inspiração pra tanta gente!

Paulo Barja
www.cordeisjoseenses.blogspot.com

evelyn disse...

Adoro suas criações

sou sua super fã

quando ouço suas musicas fico mais calma............
vc é de uma inteligencia imensuravel................................

vc é foda

Vôgaluz Miranda disse...

O mar,
velho contador de histórias,
numa noite escura e fria,
veio até mim e revelou
onde escondeu o meu amor.
Então, eu caminhei pela praia,
enfrentei as ondas,
entrei nas águas
e fui buscar o teu coração, morena,
melancolicamente,
no fundo do mar.
(Pescador - vogaluz.blogspot.com - In: O Perfume do Tempo - 2004/2005)

Grande abraço, Mestre Arnaldo. Vôgaluz

Akatl disse...

"É impossível mentir para o mar!" Disse tudo Antunes: o mar verdadeiramente nos cala, nos desnuda!

Roberta Galdino disse...

amei teu Blog
realmente bom!
te sigo
me visita e segue?
beijoos

http://rgqueen.blogspot.com/

Nayara Lima disse...

o mar acaba comigo.

Cristiano Marcell disse...

Muito bom, prezado poeta!

Raquel Beatriz disse...

arnaldooo...

nossa gosto tanto mas tanto de sua música e verso!

e qualquer coisa dita soaria pequeno diante...

abraços!

raquel beatriz
ps::: tenho um blog também se tiver tempo olhe lá...